segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

"TODOS" NÃO!

Quem me conhece (bem) sabe que eu adoro a Lógica. Ela é para mim algo essencial, seja no comportamento, seja na ideologia, mas principalmente no discurso (na linguagem). Existe uma regra básica dentro dela, na qual as premissas (afirmativas ou negativas) podem ser universais ou particulares, sendo usado nestas o "alguns" e naquelas "todos". Quando se usa uma premissa universal para algo particular ocorrerá uma inconclusão lógica, isto é, raciocínio ilógico. Pois bem, existe uma falacia chamada "generalização apressada", que, como já se pode inferir, é um raciocínio que parte de algo generalizado sem uma verificação aprofundada do fato. Quando alguém afirma, por exemplo, que todos que cursam Filosofia são loucos, está sendo ilógico, pois não se aprofundou para ver cada indivíduo, o mesmo serve aos vegetarianos, aos homossexuais, as pessoas trans, as feministas, aos religiosos, aos artistas, aos governantes, aos homens. Era nisso que eu queria chegar! Afirmar que "todos os homens são agressores" (ou potencialmente), que "nenhum homem sofre abusos",  que "nenhum homem é estuprado", que "todos os homens são criados para serem algo", entre outras, é uma generalização apressada sim! Não se estuda cada indivíduo, pragmatiza-se parte destes e os torna todos. Mas nessa brincadeira se excluem outras culturas em que homens não são criados assim, excluem pessoas as quais foram impostas ao gênero ao nascer, mas que não são, os homens que são homens, mas não foram colocados nesta "caixa" ao nascerem, excluem aqueles que tem relacionamentos abusivos, que apanham, que são estuprados (e não só em relações homossexuais), aqueles que perceberam a criação que tiveram e que fogem desta. E não me venha com "mas isso é raro, 1% no máximo", porque primeiro não é e segundo porque, sendo ou não, deve ser considerado. Então não são TODOS os homens e sim ALGUNS (quase todos, boa parte, a maioria, se ainda quiser insistir nisso). Nós estamos enfiados na mesma ideologia, nem todas as mulheres conseguiram sair do ideal que as submetem e vocês querem mesmo que os homens saiam tão facilmente do ideal de dominadores? Então, amigues, da próxima vez que pensarem em falar nesse maldito "todos", pensem em três coisas:
1) Vocês estão reproduzindo um ideal de classe ao reverso. Eles dizem "todas as mulheres devem ser belas, recatadas e de seus lares" e vocês respondem com "todos os homens são agressores por natureza" (essa natureza para mim nem lógica tem). É quase como se reafirmassem o lugar que eles colocam vocês, quando dizem que eles são o contrário disso.
2) Vocês excluem uma cambada de pessoas que sofre o mesmo machismo. Me disseram esses dias "a travesti vai sofrer com o machismo, a mulher trans vai sofrer com o machismo, o cara trans vai sofrer com ele também" e ainda "por mais que você não se considere mulher, você vai ser lida e sofrerá como uma só por acharem que você é".
3) Não se combate opressão com opressão.

Era isso, o desabafo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário